Movimentos estudantis, Sinasefe e Seminário!

Olá!

blog_reitora_audienciaParticipei, na terça-feira, de um ato convocado pelo Sinasefe/SC no hall da Reitoria. Fui questionada por servidores, estudantes e comunidade externa sobre as ocupações ocorridas em alguns dos nossos câmpus e especialmente sobre a desocupação no Câmpus Palhoça-Bilíngue no dia 18 de novembro.

Durante cerca de duas horas, esclareci mais uma vez questionamentos sobre a situação. Desde o início das ocupações mostrei-me favorável às reivindicações, contra a PEC 55 e contra a Medida Provisória de reforma do Ensino Médio. Em Brasília, participei, junto ao Conif, de reuniões no Ministério da Educação e no Congresso Nacional, onde manifestamos nossa posição, assim como fiz publicamente no IFSC.

Acredito que deveríamos estar somando esforços na defesa da educação pública e de qualidade, mas o que vi e ouvi foram acusações, como se estivéssemos lutando por causas diferentes.

Apoiei as manifestações pacíficas dos alunos, que não causassem prejuízos à instituição. Porém, como gestora pública, não poderia permitir situações de ilegalidade. Também devo garantir os direitos de alunos e servidores com opiniões diferentes, pois acredito que esse seja o espírito de uma instituição democrática.

Especificamente sobre o Câmpus Palhoça-Bilíngue, constatamos várias ilegalidades, como o impedimento de servidores e pais de alunos de entrarem no câmpus. Recebemos várias denúncias feitas ao MPF e à PGF e por diversas vezes tentamos negociar com os manifestantes, mas sem sucesso. Na quinta-feira, anterior à reintegração, reiteramos que se a justiça determinasse a desocupação, não teríamos mais como intermediar a ação. Ouvimos, inclusive, de um servidor, que “o movimento é legítimo, mas é ilegal”.

A situação foi agravada na sexta-feira, quando fui marcada em uma publicação no facebook, convidando para uma festa no câmpus no sábado, com a presença de pessoas externas ao IFSC, sem pedido de autorização formal à direção e sem nenhum servidor responsável. Para que tal festa não acontecesse, fomos obrigados a solicitar o desligamento da energia elétrica no câmpus. Assim, fomos acusados de colocar em risco a integridade física dos alunos que ali estavam. Porém, como eram menores de idade, ocupando um espaço público, acredito que a responsabilidade também era dos pais, que deveriam ter retirado seus filhos do local.

Na noite de sexta-feira, foi determinada a desocupação do câmpus. Solicitamos que não houvesse participação da polícia, mas não fomos atendidos pelo oficial de justiça. Então, servidores do IFSC e conselheiros tutelares acompanharam a ação, não constatando nenhum abuso. Se algum ocorreu, acredito que deve ser denunciado e apurado pelas autoridades competentes.

Durante a audiência, me comprometi a retirar as ações judiciais contra os estudantes, e a fazer o que for possível para encerrar esses processos. Não posso, no entanto, não considerar as ações tomadas por nós como necessárias no momento. Nossa intenção foi garantir a integridade de pessoas e da instituição.

Hoje, sexta-feira, estive no Câmpus Palhoça Bilíngue em reunião com alunos e servidores para esclarecimentos. Encaminhamos o compromisso de solicitar o encerramento da ação, o apoio do IFSC para superação da situação e a reposição das aulas. Me coloquei mais uma vez à disposição para superar esse momento difícil e agir para a melhoria do câmpus.

Gestão Pública Sustentável

blog_reitora_seminarioParticipei na quinta-feira, dia 1º, no Instituto Federal Catarinense, em Balneário Camboriú, do III Seminário de Gestão Pública Sustentável, promovido pelo Fórum das Instituições Federais de Ensino de Santa Catarina (Forgifesc), que envolve IFSC, IFC, UFSC e UFFS. Foi um momento de compartilhar experiências, desafios e dúvidas. Quando buscamos trabalhar, de modo compartilhado, buscando a sustentabilidade, precisamos trabalhar de forma mais solidária e menos competitiva.

Veja a gravação da transmissão do Seminário pela IFSCTV aqui.

Outros assuntos:

Tragédia em Chapecó – Esta semana foi de muita tristeza para todos os catarinenses, com a queda do avião que transportava a delegação da Chapecoense. Desde 2006 estamos inseridos na comunidade de Chapecó, com o nosso câmpus. Ficamos mais tristes ao saber que um ex-aluno nosso estava no avião que caiu na Colômbia. Bruno Mauri da Silva, tecnólogo em Sistemas de Comunicação, formou-se no Câmpus São José em 2014 e trabalhava como técnico de externas da RBS TV. Aos familiares e amigos das vítimas, nossa solidariedade!

Vestibular 2017.1 – Neste domingo, dia 4, teremos mais um vestibular do IFSC! Mais de 4,8 mil candidatos disputam 652 vagas em 34 cursos superiores. Desejamos boa sorte a todos!

Até a próxima semana!

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Post e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.