Mestrado para a Rede Federal

Olá!

Esta semana, o Conif submeteu à Capes proposta de mestrado para os servidores docentes e técnico-administrativos da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica, denominado “Prof EPT”. O curso será semipresencial, com 510 horas de atividades didáticas e linhas de pesquisas voltadas à educação profissional e tecnológica. São 20 institutos como polos, 400 vagas e 167 professores envolvidos, inicialmente.

A proposta foi elaborada por um grupo de trabalho do Fórum dos Dirigentes de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação (Forpog), a partir de articulação do Conif e da Setec com a Capes. Esse era um sonho antigo da Rede que, depois de muito trabalho, conseguimos realizar. Estamos à disposição da Capes para fazer melhorias ou prestar esclarecimentos sobre o projeto.

Como coordenadora da Câmara de Pesquisa e Pós-Graduação, me sinto muito realizada com essa submissão. Foi um envolvimento direto, com apoio incondicional do Conif e da Setec. Agora vamos trabalhar para a implantação! Já estamos articulando para submeter, ano que vem, outras propostas em rede, como um programa de Mestrado Profissional em Gestão Pública. Essas ações fortalecem a rede e possibilitam qualificar nossos servidores de modo mais rápido e efetivo, pois é o esforço coletivo que constrói e viabiliza com propriedade e conhecimento. Já colocamos como meta também a construção de uma proposta de doutorado em rede.

Conaes

Participei na terça, em Brasília, de mais uma reunião da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior, a Conaes. Faço parte da Conaes desde 2009, por indicação do Ministro da Educação, e meu segundo mandato está chegando ao fim no próximo mês.

reuniao_CONAES_julho_IFSC_2015Foi muito importante para a Rede Federal de EPT termos essa representatividade na comissão. Acredito que conseguimos avançar bastante e nossa intenção é manter a participação da Rede na Conaes.

Na pauta desta semana, discutimos sobre a integralização de cursos, os instrumentos de avaliação dos cursos de medicina e a própria renovação da Conaes com o fim de mandato de alguns representantes, como é o meu caso. Em agosto, será a minha última reunião.

Greve

Esta semana, parte dos nossos servidores aderiu à greve deflagrada nacionalmente pelo Sinasefe, sindicato que nos representa. Reiterando a reunião que tivemos no dia 10 de julho com o Comando de Greve, solicitamos, por meio de ofício, um posicionamento desse comando em relação aos serviços essenciais a serem mantidos na instituição durante o período da paralisação.

Nossa preocupação é respeitar o princípio da continuidade do serviço público e a manutenção das atividades essenciais, conforme prevê a própria Cartilha de Greve do Serviço Público, assim como respeitamos o movimento e a luta de todos pela melhoria salarial e da educação pública.

Em relação aos candidatos que não conseguiram fazer a matrícula nos câmpus Itajaí e Florianópolis em função da suspensão do processo, destacamos que eles não serão prejudicados. A vaga está assegurada e uma nova data de matrícula será definida e divulgada posteriormente.

Estamos acompanhando o movimento de maneira a manter a comunidade acadêmica informada por meio do Portal do IFSC e também buscando preservar a instituição.

Outros assuntos:

• Reunião com Alicia: recebi nesta quarta a estudante do Câmpus Florianópolis Alicia Amancio, que em junho recebeu o prêmio Jovem como Agente da Mudança (Youth as Changemaker) na Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas, que foi realizada em Bonn, na Alemanha. Além de receber o prêmio, Alicia também participou das negociações sobre o Acordo Mundial do Clima, defendendo uma maior participação da juventude brasileira nesse processo. Ela veio nos relatar como foi sua viagem, realizada com o apoio do IFSC. Inspirados na mobilização dessa aluna, queremos estruturar um projeto de extensão em parceria com a ONG Engajamundo para mais alunos e servidores que queiram fazer a diferença e se envolver em ações semelhantes. Estamos trabalhando nisso e devemos ter novidades em breve. Como já disse anteriormente, é um orgulho para nós termos alunos motivados e comprometidos como a Alicia!

• Especialização EPT: nesta semana, abrimos as inscrições para um curso inédito no País e que conseguimos viabilizar no IFSC: a pós-graduação lato sensu em Educação Profissional e Tecnológica (EPT) que será oferecida no Câmpus Florianópolis. O curso disponibiliza 25 vagas e visa contribuir para a EPT por meio da formação de educadores e realização de estudos, pesquisas e intervenção nesta área. As aulas começam no mês de setembro. Esse curso é resultado de um programa de Doutorado Interinstitucional (Dinter) em Educação Científica e Tecnológica com a UFSC, em que oito professores nossos se titularam e fico muito feliz, pois fui a coordenadora desse programa. Um grupo de trabalho desenvolveu essa proposta que agora vira realidade. Compartilho aqui o link para a matéria do nosso site com mais informações.

Até a próxima semana!

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Post. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.