Colégio de Dirigentes e Conselho Superior

Olá!

Nesta semana tivemos as reuniões ordinárias do Colégio de Dirigentes (Codir) e do Conselho Superior (Consup), que resultaram em importantes encaminhamentos.

Na reunião do Codir, demos prosseguimento à nossa política de realização de reuniões descentralizadas, que visa aproximar os diretores de todos os câmpus da instituição. Fomos extremamente bem recebidos pelo diretor do Câmpus Palhoça Bilíngue, professor Vilmar Silva, e pela equipe de servidores.

O concurso público 2014, que será lançado ainda no mês de agosto, foi um dos temas discutidos na reunião do Codir. Foi acertado, em comum acordo com os  diretores, que por razões técnicas, faremos um processo pequeno, visto que ainda temos o concurso de 2013 em validade. Para este ano, vamos organizar um processo que seja suficiente para atender às áreas que não tiveram as vagas preenchidas com o concurso do ano passado.

Além disso, aprovamos também o calendário unificado 2015, após discussões locais nos câmpus.

O Codir deliberou ainda pela oferta de 50% das vagas dos cursos superiores pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com os outros 50% preenchidos por meio do vestibular. Fizemos uma discussão bastante intensa sobre esse assunto e estamos acompanhando os contextos estadual e nacional para avançar nessa questão. Para 2016, a perspectiva é que haja avanço na entrada pelo Sisu, mas ainda há aspectos a incrementar para que nossa adesão ao sistema seja ampliada de forma segura.

Outro tema abordado no Codir foi a criação de novos departamentos nos câmpus da Expansão 1. Aprovamos a criação de Direção de Ensino e de departamentos a elas vinculados nesses câmpus, como forma de fortalecer sua atuação.

SONY DSCA reunião do Consup foi na quarta-feira. Um importante encaminhamento foi a aprovação de sete novos cursos superiores, que serão ofertados em 2015 nos câmpus Araranguá, Canoinhas, Criciúma, Lages, Palhoça Bilíngue, São Miguel do Oeste e Urupema. Essa ampliação da nossa oferta de cursos superiores é um importante avanço para a instituição, já que nos possibilita levar educação superior pública, gratuita e de qualidade a locais do nosso estado onde as condições de acesso a cursos de graduação costumam ser bastante difíceis. Além disso, ampliar a oferta de vagas com cursos superiores permite a verticalização do ensino, ou seja, os alunos formados nos cursos técnicos, por exemplo, têm a oportunidade de seguir com sua formação superior aqui mesmo no IFSC, e o que é melhor, na sua própria cidade.

Ainda em relação aos cursos novos, faço questão de salientar o importante trabalho de qualificação dos processos de aprovação que os nossos colegiados estão desenvolvendo. O Consup tem cuidado muito disso, estabelecendo diretrizes para a implantação de novas ofertas, e o Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) vem trabalhando com muita firmeza na qualificação das análises dos projetos pedagógicos, inclusive com a participação de avaliadores externos. Com esse rigor no processo de análise e aprovação, o resultado certamente será a oferta de cursos de excelência para nossos alunos e também um contínuo avanço na qualidade dos serviços que prestamos para a sociedade.

Os conselheiros do Consup conheceram também mais detalhes dos capítulos 3 e de 5 a 13 do nosso Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI). Eles vão analisar esses capítulos e provavelmente a aprovação de mais uma parte desse importante documento vai ocorrer na próxima reunião do conselho – lembrando que os capítulos 1 e 2 já foram aprovados. Os conselheiros acompanharam também a apresentação com as considerações do Cepe sobre o capítulo 4 do PDI, que trata do Plano de Oferta de Cursos e Vagas (POCV). Essas considerações foram encaminhadas para as comissões temáticas dos câmpus, para que mais adiante o capítulo volte a ser discutido no Consup, provavelmente em novembro.

Outros assuntos

  • Diretores – No decorrer da semana, recebi individualmente na Reitoria os diretores de 12 câmpus: Jaraguá do Sul, Chapecó, Xanxerê, Garopaba, São Miguel do Oeste, Caçador, Geraldo Werninghaus, Criciúma, Tubarão, São José, Florianópolis-Continente. Conversamos sobre aspectos da execução orçamentária e também sobre oferta de vagas, entre outros assuntos importantes. A proposta é manter esses encontros todos os meses, sempre após a reunião do Colégio de Dirigentes, num trabalho de reforço da nossa proximidade. Essa primeira experiência foi muito positiva e nos permitiu conhecer melhor quais são as necessidades e as expectativas dos nossos câmpus.
  • vereador_pedrao2Visita – Na quinta-feira, recebi a visita do vereador de Florianópolis Pedro de Assis Silvestre, o Pedrão, que nos procurou para discutir formas de melhorar a integração entre o IFSC e o Parque de Coqueiros – que fica ao lado da Reitoria e do Câmpus Florianópolis-Continente. Conversamos sobre possíveis formas de contribuir para participar de forma ativa da rotina desse importante espaço público da nossa cidade, que está tão próximo de nós.
  • ambientacaoNovos servidores – Esta semana também recebemos, na Reitoria, cerca de 150 novos servidores da instituição, que vieram de todos os nossos câmpus para participar das atividades de ambientação organizadas pela nossa Diretoria de Gestão de Pessoas (DGP). Gosto muito de participar desses encontros e de ter esse contato com nossos colegas, a quem sempre procuro lembrar do importante papel social que estão assumindo ao tornarem-se servidores federais em uma instituição de educação. Sejam bem-vindos e contem sempre conosco!

Amanhã à noite, estarei em Criciúma participando da formatura dos cursos de Edificações e Eletrotécnica.

Até a próxima semana!

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Post. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.