Itajaí, Brasília e Colégio de Dirigentes

Boa tarde!

Na última sexta-feira, participei de uma reunião com o juiz federal Gustavo Dias de Barcellos, responsável pelo processo do Câmpus Itajaí. O magistrado ficou bastante sensibilizado com a situação que expusemos sobre os problemas que temos enfrentado na região. Os prejuízos do impedimento de continuarmos as obras impactam em todos os cidadãos da região.

Vamos fazer uma nova solicitação para podermos lançar novamente a concorrência e retomar as obras. Esperamos poder contar com o apoio dos demais poderes públicos para que essa situação seja resolvida logo, pois é algo que nos angustia muito.

2013.0606-Conversa Reitora (3)Na quinta-feira (6) à tarde, fui a Itajaí, inclusive, conversar com os servidores do câmpus sobre os desdobramentos dessa nossa reunião na Justiça Federal e das outras possibilidade que temos diante da atual conjuntura. Uma alternativa é termos uma estrutura de unidade de ensino profissional na cidade de Navegantes vinculada ao Câmpus Itajaí. Fui ouvir os servidores sobre as grandes dificuldades enfrentadas com essa situação crítica e ruim. Estamos estudando juntos o que pode ser melhor para a região e para o câmpus e vou compartilhando com vocês as possibilidades.

MEC

A questão das obras do Câmpus Itajaí foi um dos pontos que tratamos numa reunião em Brasília na Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do MEC, a Setec. Conforme estava agendado, eu e a pró-reitora de Administração, Elisa Flemming Luz, nos reunimos com o secretário Marco Antônio de Oliveira, com o diretor de Desenvolvimento das Redes, Aléssio Trindade, além de outros representantes do MEC, para tratar de diversos assuntos numa extensa reunião.

Falamos sobre os investimentos de 2013 e a proposta para 2014 e a Setec apresentou uma possibilidade interessante. Atualmente, nossos recursos orçamentários são divididos em 1/3 para investimentos e 2/3 para custeio. A intenção é que no próximo ano tudo o que conseguirmos aumentar em termos de investimento seja incrementado pela Setec. Diante disso, iremos nos reunir com os chefes e diretores dos nossos câmpus para ver como podemos agir nesse sentido.

Recebemos a confirmação de que em julho teremos a liberação de mais códigos de vaga. Ainda não seria tudo o que precisamos, mas já ajudará na nossa estruturação para melhor atender a comunidade. Receberemos vagas tanto para docentes, quanto para técnicos-administrativos, além das funções de coordenadores de curso, FCC.

garopaba2Outro ponto abordado foi o acompanhamento de obras. Estamos prevendo inaugurar as sedes dos câmpus São Carlos e Garopaba no primeiro semestre de 2014 e estamos nos atentando para o cumprimento de prazos. Além disso, estabelecemos que a partir do primeiro semestre do ano que vem também teremos a ofertas de cursos regulares em Tubarão e São Carlos. Neste ano ainda, já queremos ofertas cursos via Pronatec e Mulheres Mil em parceria com as prefeituras dos municípios.

Em relação a esses programas, fomos muito elogiados pela institucionalização do Mulheres Mil, que já está sendo feita por 11 câmpus. Com o Pronatec, ainda enfrentamos algumas dificuldades, mas estamos empenhados em cumprir com as vagas que pactuamos até para melhorar nossa execução orçamentária e não comprometer nossos recursos.

Colégio de Dirigentes

Na segunda-feira, tivemos mais uma reunião do Colégio de Dirigentes, que reúne todos os diretores-gerais dos nossos câmpus. Na pauta do encontro, tratamos das recomendações da Controladoria Geral da União em relação à flexibilização. A CGU ressaltou que irá aprofundar a questão, mas fez recomendações importantes em relação ao controle de frequência dos servidores. Diante das recomendações e considerando o que a nossa própria portaria recomenda sobre revisarmos o processo – que já completou dois anos -, criamos uma comissão para tratar da questão. O grupo é formado pelos diretores-gerais dos câmpus Criciúma, Florianópolis-Continente e Joinville, além da diretora-executiva e da assessora técnica da Reitoria.

Queremos garantir a flexibilização e estendê-la para os câmpus em que há a necessidade e condições para tanto. Para isso, precisamos fortalecê-la, melhorando os nossos procedimentos como também a regulamentação.

Outro ponto que abordamos foi o edital de remoção de servidores, publicado nesta quinta, que permitirá a mobilidade de servidores de um câmpus para outro onde houver vaga. É uma importante medida para acomodarmos os servidores no local em que cada um gostaria de desenvolver sua função e sabemos que isso contribui para a motivação e o bom desempenho do profissional.

Gostaria só de destacar que só conseguimos fazer isso onde tem vaga. O edital garantirá a transparência ao processo com critérios bem definidos. E não custa lembrar que, ao fazer o concurso público, cada servidor sabe para onde é a vaga e aceita o local. Lógico que, sempre que houver a possibilidade, tentaremos acomodar os servidores em um local que atenda mais as suas necessidades – até mesmo por questões pessoais como sabemos que ocorre. Mas contamos com a compreensão dos servidores em que a remoção não é possível ainda para que se dediquem e se comprometam com o câmpus ou a pró-reitoria para a qual aceitaram trabalhar.

Também discutimos a elaboração de uma resolução para fortalecer a área de extensão do IFSC. E um último assunto tratado no Codir foi sobre a estrutura de funções. Vamos receber do MEC as funções para coordenadores de cursos previstas em lei e tão importantes para fortalecermos essa atividade. Nossa discussão foi no sentido de dos câmpus se organizarem para isso.

Outros Assuntos

  • Foto 1Mestrado: acompanhei a banca da mestranda Paula Caroline Rosa no curso de mestrado de Mecatrônica do Câmpus Florianópolis. Paula foi minha aluna no curso superior de tecnologia em Mecatrônica. Depois de fazer nosso curso de graduação, ela deu continuidade aos estudos e ingressou no nosso mestrado. Fiquei muito feliz e orgulhosa em participar desse momento e acompanhar mais essa vitória da Paula!
  • Enade: participei na terça-feira da abertura do Seminário Enade 2013, em Brasília/DF, representando o presidente da Conaes, Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior. No evento que foi até quinta-feira, foram abordados temas como enquadramento dos cursos nas áreas que serão avaliadas, processo de inscrição dos participantes e o papel da avaliação no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior.
  • mostraSemana do Meio Ambiente: estive na quarta-feira na Semana do Meio Ambiente do Câmpus Florianópolis. Nesta semana, vários câmpus fizeram atividades com essa temática. Conversei com os alunos do curso técnico de Meio Ambiente e ouvi alguns anseios dos acadêmicos. Destaco a importância desse curso numa época em que a sustentabilidade está tão em alta e em que precisamos muito desses profissionais.
  • EaD: na quinta-feira de manhã, tive uma reunião com a pró-reitora de Ensino, Daniela de Carvalho Carrelas, e com o chefe do Departamento de Educação a Distância, Paulo Roberto Weigmann, para tratar sobre a institucionalização da EaD e questões que passaram pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa e Extensão e que devem seguir para um início de discussão no Conselho Superior.
  • Reuniões: tivemos hoje ainda reuniões importantes, com servidores nossos e também com o representante da Eletrosul, Aldo Pedro Ferrari, que cuida dos servidores anistiados. Temos esses servidores da Eletrosul colaborando com o IFSC, que muito têm contribuído com o crescimento da instituição. Fica aqui nosso agradecimento a eles.

Um bom final de semana a todos e até semana que vem!

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Post. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.