Volta às aulas, Conif e Campus Urupema

Bom dia!

Nesta segunda-feira, 10 de setembro, retomamos nossas atividades letivas depois de uma greve de 80 dias que afetou a maioria de nossos campi. Espero que nossos alunos tenham tido uma boa primeira semana de aula, tanto aqueles que estão encerrando o primeiro semestre quanto quem iniciou já o segundo semestre. Estamos empenhados na reposição das atividades acadêmicas e administrativas.

Internamente, cada campus está discutindo seu calendário acadêmico com a reposição, considerando o calendário unificado do IFSC. Em breve, teremos os documentos finalizados e divulgaremos. De toda forma, os alunos que estiverem com dúvidas devem procurar suas coordenações de curso.

Passei a maior parte da semana em Brasília na 26ª reunião ordinária do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, o Conif. O encontro durou três dias e teve na pauta assuntos como a reestruturação da Rede, Gestão de Pessoas, Banco de Engenheiros; a apresentação da planilha de cargos; a institucionalização da Educação a Distância; a reposição dos dias letivos e  das atividades administrativas; as relações internacionais dos institutos e a missão do Conif a Portugal, que será realizada no final de setembro.

Acompanhamos também a cerimônia de posse dos reitores eleitos dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IFMA), Francisco Roberto Brandão Ferreira, do Norte de Minas Gerais (IFNMG), José Ricardo Martins da Silva, e de Roraima (IFRR), Ademar de Araújo Filho. A solenidade contou com a presença do ministro da educação, Aloizio Mercadante.

E, nesta semana, a nossa equipe aqui no IFSC conseguiu uma importante conquista: finalmente, nosso Campus Urupema terá um sistema de calefação. Esse é o nosso campus que fica na cidade considerada a mais fria do Brasil.

As obras devem começar ainda neste mês. Apesar do campus já ter iniciado seu funcionamento no ano passado, só agora conseguimos concretizar esse projeto que, com certeza, trará muitos benefícios aos alunos e servidores. Enfrentamos algumas adversidades como a dificuldade na elaboração dos projetos pela complexidade do serviço e a falta de profissional especializado no Instituto, a falta de previsão da instalação do sistema no projeto inicial do prédio, a dificuldade na obtenção de orçamentos de mercado devido ao desinteresse das empresas pelo baixo valor e alta complexidade e a falta de recursos orçamentários.

Sabendo da importância desse sistema para o campus, buscamos recursos junto ao Ministério da Educação e, felizmente, recebemos a sinalização de que eles virão. A obra custará R$ 276.673,12 e tem um prazo de execução de 90 dias.

Em um lugar com um inverno tão rigoroso como Urupema, ter um sistema de calefação não é luxo, mas sim uma necessidade. Precisamos de servidores e alunos motivados para realizarem suas atividades. E ter conforto e um ambiente de trabalho agradável é necessário para isso.

Agradeço a participação e empenho dos servidores do próprio campus, da diretoria de Expansão e dos servidores dos departamentos de Obras e Engenharia e de Compras que se engajaram nesse processo e conseguiram, enfim, com que a obra saísse do papel.

Ainda sobre recursos extraorçamentários, recebemos a sinalização de Brasília de que receberemos verbas para outros projetos e nosso Departamento de Obras e Engenharia já está trabalhando intensamente para finalizar os processos.

Outros assuntos:

  • Posse CPA: Participei na manhã desta sexta-feira da posse de novos membros da Comissão Própria de Avaliação. A CPA é responsável pela condução do processo de avaliação interna da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).  Destaquei que a CPA precisa enxergar a instituição e propor melhorias e acredito que os novos membros têm um grande desafio. Temos que ser efetivos, fazer com que a autoavaliação gere melhorias para o Instituto e não exista apenas para constar, mas para fazer a diferença. Para quem quiser saber mais sobre a CPA, convido para que acesse a página da CPA aqui.
  • IFSC na Mídia: E continuamos colhendo os frutos do II Fórum Mundial de Educação Profissional e Tecnológica. Durante o evento, concedi uma entrevista para a revista Carta na Escola que saiu na edição de agosto. Na matéria, abordo o desafio do ensino técnico. Confira aqui a entrevista na íntegra.

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Alunos, Conif, Gestão e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.