Semana de Reuniões

Nesta semana, participei de diversas reuniões em Florianópolis e Brasília. Gostaria de compartilhar com vocês os principais encaminhamentos.

Vou começar com o assunto que tem sido de grande preocupação nossa que é a greve no IFSC, acompanhando um movimento nacional dos servidores públicos federais. Na reunião do Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica (Conif), em Brasília, que foi realizada de quarta até hoje, a greve e as carreiras dos servidores foram a pauta principal de discussão do encontro.

Os reitores estão muito preocupados e empenhados para que a situação se resolva o mais rápido possível e atendendo as principais reivindicações. O secretário da Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio de Oliveira, participou da reunião do Conif e relatou os encaminhamentos da reunião entre os ministérios que aconteceu na segunda feira, dia 25 de junho. O secretário nos falou da disposição do MEC em resolver o impasse e disse que essa negociação não depende exclusivamente de um ministério e que envolve, além do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão, a Casa Civil.

O Conif elaborou um documento apelando pelas negociações das carreiras, ressaltando a abertura na carreira dos técnico-administrativos. O texto foi publicado no site do Conif  e será enviado por ofício aos ministros do Ministério da Educação, da Casa Civil e do Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão. Compartilho aqui com vocês esse documento. Esperamos que ele sirva para fazer com que o Governo Federal se sensibilize com a situação e dê respostas.

Sobre os serviços essenciais a serem mantidos no IFSC em caso de paralisação total das atividades, recebemos na semana passada um documento ao Comando de Greve com considerações sobre o que pontuamos. Estamos analisando ainda para podermos dar mais um encaminhamento. Nossa preocupação é que a instituição, os servidores e os alunos não tenham perdas irreversíveis.

Reforço meu respeito pelo direito à greve e considero as reivindicações justas. Mas também temos que respeitar quem não quer fazer greve. Acredito que o diálogo é sempre o melhor caminho.

Outros assuntos:

Reunião Udesc: Estive com o reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina, Antonio Heronaldo de Sousa, nesta segunda-feira. O IFSC e a Udesc já possuem parcerias e a nossa intenção é ampliar ainda mais os trabalhos. Nossa proposta é inovadora, pois estamos estudando como articular o ensino, a pesquisa e a extensão não só nas localidades em que as duas instituições já atuam, mas ampliando as fronteiras para podermos atender mais e melhor a sociedade catarinense.

Sobre Maria Clara

Maria Clara é professora do IFSC desde 1990, atuando no Câmpus Florianópolis. Tem graduação em Matemática e mestrado e doutorado em Engenharia de Produção, todos pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi diretora de Pós-graduação e Pesquisa (2006-2008) e pró-reitora de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação (2009-2011) do Instituto Federal antes de tornar-se a primeira reitora eleita da instituição – anteriormente a 2008, quando o Cefet-SC tornou-se IFSC, o cargo máximo era o de diretor-geral. Além de gestora do IFSC, a reitora acumula experiências como membro da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes) e da Comissão Nacional de Avaliação da Iniciação Científica e Tecnológica (Conaic) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). É integrante do Conselho de Governança da Fiesc, representando o Ministério da Educação (MEC).
Esta entrada foi publicada em Alunos, Brasília, Conif, Institucional, Servidores e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.